CADASTRO SOCIOECONÔMICO

O cadastro socioeconômico é desenvolvido seguindo a metodologia da gestão participativa, onde o público alvo é parte integrante do processo, como agente transformador da sua própria realidade.

 

DIAGNÓSTICO FÍSICO-AMBIENTAL

Relatório com a caracterização físico-ambiental das comunidades

CADASTRO SOCIOECONÔMICO

O cadastro socioeconômico é desenvolvido seguindo a metodologia da gestão participativa, onde o público alvo é parte integrante do processo, como agente transformador da sua própria realidade.

As atividades são pensadas, planejadas e executadas, de forma que toda a comunidade se envolva ativamente.

A metodologia contempla reuniões com as lideranças comunitárias, organizações não governamentais, moradores antigos, igrejas, etc., tendo como propósito o conhecimento das comunidades e a escolha dos cadastradores.

Cadastro Sócio Econômico e Diagnóstico Físico Ambiental
Cadastro Sócio Econômico e Diagnóstico Físico Ambiental

Para a capacitação dos cadastradores são seguidos alguns princípios como:

  • Direito a moradia: acesso à informação sobre o processo de titulação;
    ações de cadastramento para a conquista da titularidade de propriedade;
    ações com a intenção de melhorias na comunidade; desenvolvimento de
    um sentimento de pertencimento coletivo.
  • Direito a informação: direito dos moradores sobre as informações do
    processo de cadastramento nas comunidades e também sobre o processo
    de regularização fundiária dos lotes.
  • Inclusão Social: incentivar a todos os moradores da comunidade que
    respondam aos itens do cadastramento, para que possa ser realizada a
    regularização fundiária da comunidade.
  • A participação da comunidade: buscando sensibilizá-los para as questões coletivas levantadas pelos moradores como também da importância de seu papel na construção do futuro da sua comunidade.

Além destes princípios outras questões são igualmente importantes de serem abordadas na capacitação:

  • O comprometimento do cadastrador neste processo, pois a regularização fundiária na comunidade dependerá da qualidade das informações colocadas na ficha cadastral;
  • Um olhar mais crítico e um repertório informacional dos cadastradores sobre a realidade social da comunidade;
  • Habilidade a adentrar nos domicílios sem ser invasivo;
  • Capacidade em estabelecer uma relação de confiança com o entrevistado
    que o permita a adentrar na sua intimidade;
  • Habilidade em perguntar para os moradores as questões da ficha cadastral, pois o processo não é um mero preenchimento de dados;

Assim, para a capacitação dos cadastradores, são escolhidas dinâmicas que facilitam a apresentação e integração das pessoas, que estimulam e reconhece o outro com suas especificidades, experiências e visão de mundo;

Através do cadastro é possível realizar o diagnostico socioeconômico que consiste na caracterização das comunidades por meio da construção do perfil socioeconômico dos moradores, com identificação da comunidade, organização, informações dos moradores e análise dos dados agrupados por eixos temáticos.

DIAGNÓSTICO FÍSICO-AMBIENTAL

DIAGNÓSTICO FÍSICO-AMBIENTAL

Relatório com a caracterização físico-ambiental das comunidades, contemplando situação geográfica, uso e ocupação do solo, infraestrutura e equipamentos públicos, cobertura vegetal, análise de riscos e qualidade ambiental.